As perguntas mais frequentes sobre o que significa ser um acompanhante-gay

As perguntas mais frequentes sobre o que significa ser um acompanhante-gay

As perguntas mais frequentes sobre o que significa ser um acompanhante-gay

"Há uma única forma de sucesso: fazer da própria vida o que se quer”
(Henry D. Thoreau)

Os acompanhantes gay são uma forma de elite muito presente nos últimos anos como iniciativa neste área. Organizados e sérios sobre a actividade que fazem, os homens gay desfrutam em alguns lugares do mundo também de cotações financeiras, muito mais altas do que das outras categorias de acompanhantes.

Quando estão na linha de partida de uma carreira desse tipo, questionam-se muito sobre a conveniência ou a viabilidade da escolha que acabaram de fazer, com os preconceitos ou as dificuldades que podiam vir da sociedade, practicando regularmente a profissão de acompanhante, com possíveis soluções aplicáveis à abordagem para o desenvolvimento em condições óptimas... e também com outros aspectos sobre os quais ainda não têm uma opinião pertinente.

Infelizmente muitas das respostas pelas quais eles procuram, não podem ser encontradas em artigos deste tipo (e ainda menos neste artigo), por mais profundo e abrangente que seja, pois as preocupações psico-afectivas são extremamente várias e únicas no seu género. Ninguém pode resolver tais problemas melhor do que você. O que vai encontrar aqui são apenas propostas ou conselhos gerais (resultados da experiência vivida por outros acompanhantes), cuja finalidade você vai decidir em base aos seus próprios interesses.

Portanto... eis aqui algumas tentativas de suporto que lhe oferecemos nas suas pesquisas ou nas futuras decisões que vai tomar sobre a inédita aventura no mundo sexual:

Posso ganhar muito dinheiro nesta profissão? Quando você decidiu virar a sua atenção para esta profissão, com certeza que sentiu dentro de si que a sexualidade e as concepções sobre a própria interacção com a sociedade, permitem-lhe de fazer isso. Mas, ainda mais importante do que esta flexibilidade comportamental e o erotismo indisfarçável, muito provavelmente tratou-se (directa ou indirectamente) de dinheiro também. Talvez no início não foi assim evidente, mas com o tempo, quando a idéia começou a tornar-se mais séria... Porque SIM, neste tipo de actividade, é possível ganhar muito dinheiro! E com paciência e o desejo de ser o mais profissional, a profissão de acompanhante-gay pode facilmente tornar-se num pequeno negócio, bastante rentável.

A única desvantagem desta profissão é o facto de ela ter um período de prática e rentabilidade até cerca dos 40-45 anos. Apesar de parecer um período de tempo bastante longo, não é nada assim. Depois deste tempo, se você não tiver investido noutros negócios ou na “tranquilidade” de umas poupanças consideráveis, provavelmente será possível continuar a trabalhar, mas sem ter os mesmos níveis de sucesso, sobretudo em termos de rendimentos. Por esta razão, talvez seria bom prestar mais atenção às estratégias de administração das suas finanças até àquele momento! O dinheiro pode ser investido ou poupado quando existir, não quando faltar completamente!

O início é díficil? É! Para os gays o ínicio é bastante díficil. Antes de tudo porque a própria orientação sexual vai encontrar uma oposição hipócrita em vários cantos do mundo, apesar de formalmente se terem registrado progressos a este respeito. Além disso, porque a realidade da interacção com alguns clientes (que de facto não são muitos), pode ser desmoralizante em comparação com os sonhos e as expectativas que tinha neste ínicio do caminho, quando provavelmente se tinha imaginado e desejado (pois é natural que seja assim), que o erotismo destes encontros se desenvolvesse em ambientes confortáveis, luxuosos, com pessoas elegantes, bebidas finas, boa música e conversas espirituais...

Mas se você superar as decepções e às vezes até “colapsos” mentais, com o tempo, há possibilidades de adquirir as capacidades de lidar com tais dificuldades e especialmente de aprender como evitá-las.

É melhor ser activo, passivo ou versátil para ter mais clientes? O melhor seria que fosse exactamente como sentir que queria ser. O comportamento natural e os gestos naturais são sempre muito apreciados nestas relações. Se for gay activo e se apresentar como passivo e versátil, apenas por esperar de obter mais ”pretendentes”, só vai provocar a si próprio um alto nível de desconforto e com certeza que nalguns momentos não conseguirá prestar os serviços correspondentes às expectativas. Deve perceber que há demanda para todas estas categorias. Portanto é inútil render o seu trabalho mais díficil, como é inútil adoptar uma conduta forçada, apenas por uma questão de dinheiro. Se trabalhar com prazer, da maneira em que sentir, podemos garantir que as coisas vão correr incrivelmente bem em todos os níveis... portanto a nível financeiro também.

Quais as condições para praticar esta profissão a nível profissional? Para ser um acompanhante-gay profissional é preciso, antes de tudo, dedicar tempo e perseverança, dirigidas em direcção de objectovos bastante sofisticados que, com o tempo, possam destacá-lo da grande maioria dos “colegas” que praticam a mesma profissão.

A presença física é um dos principais factores competitivos, extremamente importante quando se trata de atrair os admiradores, sobretudo porque tem uma manifestação imediata, a nível visual nas imagens que você publicar como publicidade e também ao momento dos encontros reais (quando você será “analisado” na realidade). Devido ao impacto decisivo e eliminatório que ele tem, todo o seu interesse deve ser dirigido especialmente para este objectivo.

Não ignore nenhum elemento que tenha a ver, directa ou indirectamente, com a beleza do corpo. Ou seja, manutenção física, cosmética, roupas ou acessórios. Tudo isso pode optimizar a sua ascensão, dando-lhe um carácter esclusivo.

Eis aqui algumas sugestões:

-O aspecto geral. Mesmo se por causa de alguns preconceitos alimentados também pela síndrome de frustração da minoridade sexual, você considerar que roupas ou atitudes mais evidentes ou até “berrantes” ajudam a ser notado mais, nós garrantimos que esta é uma abordagem errada ou pelo menos contraproducente. Infelizmente, será notado precisamente por aquelas pessoas que nunca terão bastante dinheiro para honrar os seus pedidos. Tente escolher uma maneira elegante, sofisticada, charmosa, de se apresentar... que seduza os sentidos daqueles que podem entender, valorizar e apoiar realmente o elitismo espitirual e a sexualidade de uma personalidade especial. Certamente, a aproximação íntima ultrapassará os limites da solicitação comun e será uma revelação reconfortante.

-O cabelo. Se for curto ou longo, o cabelo nunca deve ter um aspecto desleixado. Noutras palavras, vá frequentemente ao barbeiro e não deixe que o cabelo acabe sem brilho ou quebradiço. Se cuidar do cabelo, vai deixar uma impressão de indivíduo refinado e pedante, digno de todas as apreciações.

-A pele. Não exagere com os cremes nem mesmo com as maquilhagens. Há uma desvantagem enorme na presença de demasiados cosméticos no rosto, desvantagem que de facto vai observar de uma forma desagradável quando com o suor ou as carícias durante a “acção”, tudo se pode transformar numa pasta de escorre repulsivamente nas suas bochechas ou no pescoço.

-Os dentes. Antes de um encontro, é obrigatório escovar bem os dentes para ter um hálito fresco e agradável. Seria bom que tivesse sempre consigo um spray bucal ou rebuçados aromáticos. Também, faça exames estomatológicos de rotina, eliminação do tártaro e branqueamento dos dentes.

-Os olhos e as pálpebras. Infelizmente, a profissão de acompanhante implica pela sua natureza uma grande série de noites brancas, e os olhos e as pálpebras serão mais afectados por esse ritmo de vida, revelando de vez em quando a fatiga. Por isso, para cuidar ou regenerar é bom usar gotas, vários géis ou cremes, pois o aspecto dos olhos exaustos é capaz de diminuir muito o apetite sexual de qualquer potencial parceiro.

-As unhas. São um detalhe muito visível durante os encontros de socialisação e na intimidade também. Devem ter um aspecto extremamente limpo e arrumado, pois é assim que provocam no espectador aquelas sensações de escrúpulos em relação à imagem ou à higiene pessoal, que deixa um elevado nível de naturalidade na relação íntima.

-A roupa íntima. É talvez o detalhe mais espectacular e popular desta profissão. Quando decidir de investir neste capítulo, é importante que dirija a sua atenção para os artigos de qualidade e mais famosos. Não deve absolutamente pensar em poupar, pois o dinheiro que gastar, por muito que seja, em pouco tempo vai se tornar extremamente eficaz.

-Os perfumes. Não exagere com as quantidades de perfumes ou aftershaves. A presença destes só é capaz de ser empolgante se for perceptível de perto, não a dezenas de metros de distância.

-As roupas. Infelizmente muitos gays consideram que a roupa deles tem que “indicar” claramente a presença e a orientação sexual que eles têm. Isso é extremamente errado. Com uma liha de roupas mais clássica ou sem artigos estridentes, você vai dar passos importantes em ultrapassar o padrão que a nível subconsciente e instintivo aumenta artificialmente as diferenças de opinião e orientação erótica a nível colectivo. Se alguma vez pensar nisso com desapego, vai entender que a sociedade em geral apenas respode aos impulsos gerados pelas minorias (sejam elas quais forem). Uma atitude normal é claro que não vai atrair alguma “reacção” contrária.

-Os acessórios. Um forte NÃO para o excesso de acessórios. Quanto mais pequenos e discretos que forem, mais efecto e elegância terão. De facto, esta alternativa “minimalista” será também muito útil em evitar os possíveis invidentes (pegar, riscar) durante as “cenas quentes”.

-Siga as notícias! É um conselho muito sério e importante, que tem indissoluvelmente a ver com a estrutura educacional das pessoas que vai encontrar neste ambiente, e sobretudo na categoria gay. Os clientes são geralmente pessoas interessadas em tudo o que tem a ver com a política, economia ou desporto. Vai deixar uma excelente impressão se conseguir ter uma conversa relaxada com eles sobre um desses assuntos, abrindo assim também conexões espirituais.

-As fotografias. Dizem que uma imagem sugestiva vale mais do que 1000 palavras. Por isso mesmo, quando realizar o próprio plano de publicidade e decidir tirar uma série de fotografias para publicar nos sítios especialisados, use os serviços de um profissional e esqueça absolutamente os instantâneos tirados com o telemóvel no espelho. Vão lhe dar um ar distincto.

-Não menos importante... Embora cada pessoa tenha um ideal cerca do aspecto físico do possível parceiro, a maioria das vezes a aparência, por mais atraente que seja, não é suficiente se não for completada por uma personalidade especial. Portanto, tente cultivar as suas atitudes, o comportamento e a linguagem, de modo a oferecer para cada interlocutor o sabor de uma presença fascinante, cuja linha de corpo seja enobrecida por uma aura intelectual carismática. Não devemos esquecer que o órgão mais erógeno do ser humano é o cérebro.

É possível que ao ler tudo isso fique um pouco desconcertado, pois é verdade, até registar os lucros com que sonha, até ganhar uma experiência significativa neste domínio profissional, para fazer tudo isso de forma espontânea e natural, sem considerá-los “passos a fazer”... pode passar algum tempo.

Não será fácil, especialmente se querer fazer tudo de forma refinada, distinta...

É bom começar com uma Agéncia? No início de um acto decisional desse tipo, terá muitos detalhes a desenvolver, a começar pela manutenção de uma publicidade activa em todos os médias e até a “intervenção” sobre si mesmo através desporto, cosmética, roupas, etc, para não falar da prestação dos serviços por aqueles que vão lhos pedir. Com tantos problemas difíceis de gerir no início, é melhor recorrer ao suporto de uma Agência especializada, que além de ter clientes fieis e confiáveis (o que vos liberta das possíveis esperiências desagradáveis no início), tem também a grande vantagem da fama que ganhou ao longo do tempo, que é impossível para si de adquirir muito cedo. Além disso, pode obter aconselhamento benéfico para a sua carreira por parte de pessoas que fazem isso há anos e anos...

Portanto, sim, é bom começar a actividade numa Agência.

Quais as vantagens em trabalhar como independente? Trabalhar como independente nesta profissão significa muito e nada fácil. Terá que fazer muitas coisas solicitantes, tanto a nível de envolvimento físico, mental, como também em termos temporais dedicados para isso. Praticamente, terá que administrar com as próprias forças e recursos financeiros tanto o próprio negócio como o sistema inteiro de acções que contribuem para a sua viabilidade. A começar pela publicidade, até às conversas com os potenciais interessados, a partir da marcação dos encontros até à segurança, do transporte no caso das eventuais visitas até à cobrança das tarifas ou à prestação efectiva dos serviços de acompanhante... tudo isso caberá esclusivamente a si.

Apesar de à primeira vista possa parecer e ser mesmo muito díficil, as dificuldades que vai encontrar podem ser superadas com o tempo e vai aumentar assim a capacidade de se adaptar a tais impedimentos. As experiências que vai ter, embora nem sempre agradáveis, vão levá-la no final a grandes gratificações em todos os níveis.

A maioria das acompanhantes (independentemente do sexo ou da orientação que têm), são atraídas por este tipo de abordagem independente da profissão de acompanhante, pois a flexibilidade do horário de trabalho, a adaptação das tarifas em função de cada cliente e também o facto de o montante resultante da sua prestação ficar inteiramente na sua posse, deixam uma sensação reconfortante a nível psicológico, difícil de encontrar noutras colaborações ou compromissos. É tudo livremente escolhido e sem regras severas.

Eis aqui algumas vantagens em ser independente:
-estabelecer flexivelmente o seu programa de trabalho;
-adaptar as tarifas e as regras dos encontros em função de cada cliente;
-o montante resultante da sua prestação fica inteiramente na sua posse;
-a atracção dos clientes pelas acompanhantes independentes, graças às tarifas menores e às vezes negociáveis, como também graças à interacção directa, sem intermediários.

Quais as desvantagens em ser uma acompanhante independente? Como acompanhante independente terá que gerir por conta própria tudo o que tem a ver com: publicidade, presença no maior número de sítios web especializados, manter actualizada a correspondência, sessões foto realizadas regularmente, manutenção física, atender às chamadas, medidas de segurança e claro... os próprios encontros. E os investimentos iniciais serão suportados com os seus próprios recursos.

Outra desvantagem da independência nesta profissão é o facto de o sucesso e portanto os ganhos significativos chegarem bastante tarde. Você passará por um período relativamente longo durante o qual vai trabalhar e viver experiências mais ou menos agradáveis, aprendendo com a sua essência e praticando a arte da administração de todos os “mecanismos” do próprio negócio, sem desfrutar muito dele...

Aqui está um resumo de algumas desvantagens que vai encontrar como independente:
-projetação e realização de tudo o que tem a ver com a publicidade, absolutamente por conta própria;
-custos elevados em contratar um fotógrafo profissional que realize um portfólio competitivo;
-necessidade de saber usar bem o computador e a internet;
-necessidade de publicitar-se no maior número de sites especializados;
-mantenção de uma correspondência imediata;
-grandes esforços para a expansão da rede de amigos e conhecidos;
-construção de um sítio web próprio;
-construção de um plano de segurança pessoal;
-encontrar maneiras ideais de transporte para as solicitações OutCall.

Mas nem todos consideram esses impedimentos como desvantagens. Podem ser interpretados também como verdadeiros desafios, que se você vencer, com certeza que vai encontrar o caminho que leva ao sucesso. Afinal, está trabalhando esclusivamente para si.

Quais são os “segredos” mais importantes nesta profissão?
O único grande segredo do sexo é dedicar-se totalmente e sem falsas modéstias a tudo o que significa experimentar as sensações e as emoções eróticas.

Muitos gays, ao lerem esse tipo de artigos, esperam dentro de si descobrir entre as linhas “confirmações” das decisões que tomaram ou que vão tomar, com a sensação de que a sociedade não considera muito adequado ou aceitável aquilo que eles fazem, mas no sexo é importante saber que nada é proibido ou inaceitável.

Quanto é importante o sexo oral na profissão de acompanhante gay? Se estudar com atenção os anúncios de outros acompanhantes do mundo inteiro, vai ver que há muitas referências à disponibilidade e talento em fazer sexo oral. Sem dúvidas, este facto leva à conclusão de que realmente o sexo oral tem uma grande importância no perímetro do domínio erótico.

Sabe-se já que não são poucos os casos quando a única razão de alguns encontros deste tipo tem a ver apenas com o prazer erótico deste acto.

Talvez aparentemente pareça fácil, comum e não muito difícil de fazer, mas o sexo oral é de facto uma técnica que exige experiência e habilidade, sobretudo se querer estar entre aqueles que o praticam de forma profissional.

Nem todos são capazes ou dispostos a atender as exigências que fazem a diferença entre uma simples introdução do pénis na boca e o talento sensual de provocar um êxtase único. Mas é isso mesmo um dos motivos pelos quais, com o tempo, alguns dos homens gays tornar-se-ão acompanhantes de sucesso ao contrário dos noviços ou indolentes que ficarão para sempre a um nível mediocre.

Quais os conselhos de segurança mais importantes por um acompanhante-gay? Os gays são menos vulneráveis aos riscos que esta profissão implica, pois as agressões ou os actos de má-fé são sensivelmente menos frequentes nesta comunidade.

No entanto, afim de evitar qualquer inconveniente a nível de segurança pessoal, seria bom marcar os primeiros encontros num lugar público onde haverá a possibilidade de conhecer o seu parceiro durante alguns minutos, conversar brevemente com ele e estudá-lo (discretamente) para observar qualquer gesto ou reacção que possa trair um comportamento agressivo ou irritável.

Se o seu instincto lhe disser que há algo de errado, abandone logo o encontro invocando uma desculpa educada. Não faz sentido arriscar se envolver em quem sabe quais complicações indesejadas.

Seguem aqui alguns conselhos a respeitar para a sua segurança:

-Se for para um outro local, fique permanentemente de olho na sua roupa. Pode haver pessoas mal-intencionadas que escondam as suas roupas e você necessite de muito tempo para encontrá-las ou de algumas concessões que provavelmente não seria disposto a fazer. Não pense em recuperá-los com a força! Você está numa propriedade privada onde entrou volontariamente.

-Nunca é aconselhável ter consigo objectos de valor. Se for vítima de criminosos que querem roubá-lo, isso limita as eventuais perdas ao mínimo.

-É bom recusar as bebidas que trazem para si de outros quartos ou por trás de um bar que não pode ver muito bem e assim não terá possibilidade de ver a garrafa ou outras operações (indesejadas) que aconteçam com o copo que lhe oferecerem. Um comprimido eficaz para dormir por exemplo pode deixá-lo em situações completamente imprevisíveis.

-É aconselhável manter sob observação qualquer personagem que entrar no seu local. Isso é essencial na redução significativa das possibilidades de roubo.

-Não deixem o dinheiro à vista. Houve situações em que no final do encontro, simulando estar com pressa, o cliente levou discretamente o dinheiro da mesa onde o tinha deixado... e desapareceu.

-Não permita ser atado. Pode fazer isso, mas apenas com um indivíduo que já contratou os seus serviços e que você conhece muito bem. Noutras condições, se for atado, tudo pode acontecer.

-Se usar vibradores ou concordar com que o parceiro use os seus dedos para penetrar o seu ânus ou introduzi-los na sua boca, tome cuidado que seja uma pessoa que conhece bem. Se o uso do vibrador ou dos dedos for muito agressivo, você pode sofrer lesões mais ou menos graves mas que, de qualquer maneira, vão exigir tratamentos caros que podem demorar muito. Também a falta de higiene da pessoa em causa pode lhe trazer infecções ou outras doenças transmissíveis assim.

Quais as soluções para lidar com as pessoas agressivas? O conselho mais importante sobre os potenciais sujeitos agressivos é: EVITÁ-LOS! Mesmo se considerar o seu sistema de auto-defesa muito eficaz, deve entender que não são salvadoras as soluções de saída das possíveis situações de crise, o que é salvadora é a prevenção. O melhor “detector” dos possíveis problemas, é a sua intuição. Ao menor sinal, cancele imediatamente o encontro, por mais promissor ou tentador (a nível financeiro) que seja. A sua integridade física e a anulação dos problemas ulteriores é mais importante de que qualquer quantia de dinheiro.