A TRICOMONÍASE

A TRICOMONÍASE

A TRICOMONÍASE

A tricomoníase é uma infecção causada pelo protozoário (animal inferior, geralmente microscópico, unicelular) “Trichonoma Vaginalis”, tão pequeno mas extremamente pérfido e agressivo nas suas acções.

Como muitos outros parasitas, ele é tipicamente presente no aparelho urinário, nenhum sintoma trai a sua presença e não afecta o organismo de qualquer forma. Começa a ter este tipo de ideias quando se associa a várias outras bactérias (bacilo coli, esteptococo, estafilococo, etc.). Essa é a velha história: “Um bom rapaz, respeitoso que não incomoda ninguém, até um dia quando entra numa banda”...

A tricomoníase urogenital é uma doença bastante frequente que ocorre especialmente nas mulheres com idades de 16 a 35 anos. Por que deixar que os anos melhores da juventude sejam privados de problemas (como se não houvesse suficientemente outros)?

Transmete-se principalmente por vias sexuais (obviamente!), mas não necessariamente. O protozoário é capaz de sobreviver muitas horas em vários objectos: toalhas, lençois, puxadores e até sabonete. SIM, no sabonete. Isso porque a humidade e o ambiente alcalino, paradoxalmente, favorece a sua existência e multiplicação. O mal parece sempre ter mais oportunidades do que o bem. Assim, o animalzinho pode sobreviver até 24 horas fora do organismo humano. Um verdadeiro “ninja” das infecções.

Há casos em que o parasita provoca também infecções orais com consequências muito graves: pneumonia, bronquite ou lesões da boca. Muito simpático, não é?

Os homens só têm sintomas da presença infecciosa muito raramente, na maioria dos casos eles são apenas portadores e só descobrem a própria infecção após de contagiarem a parceira. E aí é que são “alegrias”!

Embora aconteça muito raramente, os homens podem ter alguns sintomas em forma de secreções da uretra (ocorrem de manhã), em torno do meato urinário, que tem aspecto de membrana molhada. Na maioria das vezes, os protagonistas sorriem satisfeitos e presuntuosos, certos que a sútil “ejaculação” nocturna foi provocada por uma aventura erótica secreta (na imaginação, claro), com um modelo famoso, mas que infelzmente não conseguem lembrar...

Infelizmente, esta infecção e a inflamação que provoca, representa um dos factores que favorecem os tumores cancerosos, especialmente na próstata.

Nas mulheres, a doença provoca secreções vaginais fétidas e dores agudas na área genital. Além disso, se não se submeterem a tempo a uma cura, vão ter dores vaginais continuas, ainda maiores durante os contactos sexuais. E não, não se trata da solução milagrosa que o parceiro encontrou para aumetar o seu pénis.

Para as mulheres o diagnóstico faz-se por análise microscópica da secreção vaginal ou por exames laboratoriais especializados da primeira urina (de manhã).

Para diagnosticar a tricomoníase no homem é necessária a coleta de secreção uretral por massagem prostática ou coleta da urina preferivelmente de manhã. Geralmente recomenda-se que sejam efectuadas análises mais completas para outras doenças de transmissão sexual, especialmente a Sífilis ou o HIV. Ou seja a “banda” onde pode entrar este pequeno parasita.

A Tricomoníase pode ser contraída por outros meios também, mas geralmente é considerada uma doença sexualmente transmissível. Por esta razão, é obrigatório que ambos os parceiros (ou nalguna casos, todos os parceiros) sigam a terapia. Se estes se curarem contemporaneamente e não houver risco de reinfecção, dentro de no máximo 10 dias, a doença será completamente curada. Finalmente uma boa notícia! É importante mencionar que durante o tratamento, bebidas alcóolicas não devem ser ingeridas.

Atenção! A cura não traz a imunidade e o risco de reinfecção permanece elevado.

A prevenção é a mãe da sabedoria! Portanto, usar sempre o PRESERVATIVO só pode ser benéfico. Há várias doenças sexuais, algumas podem ser evitadas, outras não... mas quase sempre aquele pequeno balão cumpre amplamente o seu dever.